Intervenções Centradas Em Microbioma Para Condições De Saúde Dos Animais De Estimação

Filhote de cão e de gato

O tecido linfóide associado ao intestino (gut-associated lymphoid tissue, GALT) do trato gastrointestinal representa quase 80% de todo o sistema imunológico do corpo;1 isso ressalta os papéis críticos do trato gastrointestinal e do microbioma na imunidade e defesa do hospedeiro.

Um bom equilíbrio entre imunidade ativa e tolerância imunológica é necessário para manter a homeostase, e interrupções desse equilíbrio podem contribuir para a doença.1-4

ícone de barreira
banner cinza

Como colocar a ciência do microbioma em prática para imunomodulação

ícone de seta intestinal

Bioativos de colostro bovino aumentam o equilíbrio do microbioma intestinal em cães

Ciência relacionada

A suplementação de dietas de cães adultos com bioativos de colostro bovino levou a uma maior diversidade de espécies microbianas, indicando que os cães tinham microbiomas estáveis e mais resistentes ao desafio.5

fundo azul-marinho desbotado

Como colocar a ciência em prática

Oferecer uma dieta canina suplementada com bioativos de colostro bovino pode tornar o microbioma mais resistente à infecção.

ícone de injeção canina

Bioativos de colostro bovino aumentam a resposta à vacina em cães

Ciência relacionada

A suplementação com bioativos de colostro bovino resultou em um aumento significativo na produção de IgG de antígeno específico em resposta à vacinação contra a cinomose, bem como níveis de anticorpos mais sustentados, indicando uma melhor resposta imune à vacinação.5

fundo azul-marinho desbotado

Como colocar a ciência em prática

Bioativos de colostro bovino melhoram a resposta à vacina em cães.

ícone de filhote de gato e injeção

Bioativos de colostro bovino aumentam a resposta à vacina em filhotes de gato

Ciência relacionada

Filhotes de gato suplementados com bioativos de colostro bovino apresentaram resposta aumentada e sustentada de anticorpos à vacina antirrábica.6

Como colocar a ciência em prática

Bioativos de colostro bovino melhoram a resposta à vacina em filhotes de gato.

ícone de injeção canina

O probiótico melhora a resposta vacinal em cães

Ciência relacionada

A cepa probiótica Enterococcus faecium SF68 aumentou a produção de IgA e IgG, bem como a ativação de monócitos em cães em crescimento, mas não induziu superestimulação do sistema imunológico.7,8

A cepa probiótica E. faecium SF68 pode aumentar o priming de células B virgens em resposta à vacinação inicial do vírus da cinomose, o que pode aumentar a eficácia da vacina na prevenção da infeção.7,8

fundo azul-marinho desbotado

Como colocar a ciência em prática

O probiótico E. faecium SF68 melhora a resposta vacinal e as funções imunológicas de longo prazo em cães em crescimento sem estimular demais o sistema imunológico.

ícone de ampliação de gato

O probiótico pode melhorar a infeção pelo herpesvírus em gatos

Ciência relacionada

Gatos com infeções por herpesvírus latentes mostraram significativamente menos pontos de observação com conjuntivite quando suplementados com E. faecium SF68 em comparação com gatos no grupo placebo.8,10

fundo azul-marinho desbotado

Como colocar a ciência em prática

A cepa probiótica E. faecium SF68 pode melhorar o curso clínico do herpesvírus felino latente em gatos.

doença do trato respiratório

O probiótico reduz a doença do trato respiratório superior em gatos de abrigos

Ciência relacionada

Gatos de abrigos que receberam Bacillus coagulans GBI-30 6086 (BC30) mostraram uma diminuição numérica no número de dias com sinais clínicos de doença do trato respiratório superior.11

fundo azul-marinho desbotado

Como colocar a ciência em prática

A cepa probiótica Bacillus coagulans GBI-30 6086 (BC30) pode ajudar a reduzir a doença do trato respiratório superior em gatos de abrigos.

ícone de injeção de seta

Os pós-bióticos aumentam a resposta imunológica à vacinação

Ciência relacionada

Algumas cepas de espécies de Lactobacillus mortas pelo calor podem produzir efeitos imunomoduladores iguais a cepas vivas.12 Uma mistura tratada termicamente de Lactobacillus fermentum e Lactobacillus delbrueckii aumentou os níveis fecais de anticorpos IgA em resposta à vacinação contra a raiva, indicando uma resposta imune aprimorada.11

fundo azul-marinho desbotado

Como colocar a ciência em prática

Paraprobióticos eficazes podem fornecer benefícios imunomoduladores, apesar da falta de bactérias vivas.

Explore outras áreas do Fórum sobre Microbioma

fundamentos do microbioma

Fundamentos do microbioma

liderança da Nestlé

Liderança da Nestlé e da Purina em Microbioma

Saiba mais

  1. Tizard, I. R. (2018). The microbiota regulates immunity and immunologic diseases in dogs and cats. Veterinary Clinics of North America Small Animal Practice. 48, 307–322. doi:10.1016/j.cvsm.2017.10.008
  2. Richards, P., Thornberry, N. A., & Pinto, S. (2021). The gut-brain axis: Identification of new therapeutic approaches for Type 2 diabetes, obesity, and related disorders. Molecular Metabolism, 46, 101175. doi:10.1016/j.molmet.2021.101175
  3. Pilla, R., & Suchodolski, J. S. (2021). The gut microbiome of dogs and cats, and the influence of diet. Veterinary Clinics of North America Small Animal Practice, (volume/issue), (pages). doi:10.1016/j.cvsm.2021.01.002
  4. Blake, A. B., & Suchodolski, J. S. (2016). Importance of gut microbiota for the health and disease of dogs and cats. Animal Frontiers, 6(3), 37–42. doi:10.2527/af.2016-0032
  5. Satyaraj, E., Reynolds, A., Pelker, R., Labuda, J., Zhang, P. & Sun, P. (2013). Supplementation of diets with bovine colostrum influences immune function in dogs. British Journal of Nutrition, 110, 2216–2221. doi:10.1017/S000711451300175X
  6. Jean-Philippe, C. Beneficial effects of dietary colostrum supplementation in kittens, Nestlé Purina Scientific Update of Feline Nutrition, Issue 4, 1–8.
  7. Benyacoub, J., Czarnecki-Maulden, G. L., Cavadini, C., Sauthier, T., Anderson, R. E., Schiffrin, E. J. & von der Weid, T. (2003). Supplementation of food with Enterococcus faecium (SF68) stimulates immune function in young dogs. Journal of Nutrition, 133, 1158–1162.
  8. Lappin, M. R., Coy, J., Hawley, J. & Dow, S. Effect of a commercially available probiotic on immune responses in healthy dogs. Presented at: American College of Veterinary Internal Medicine; June 8-10, 2017; National Harbor, Maryland. Abstract NM05 2016
  9. Veir, J. K., Knorr, R., Cavadini, C., Sherrill, S. J., Benyacoub, J., Satyaraj, E. & Lappin, M. R. (2007). Effect of supplementation with Enterococcus faecium (SF68) on immune function in cats. Veterinary Therapeutics, 8(4), 229–238.
  10. Lappin, M. R., Veir, J. K., Satyaraj, E. & Czarnecki-Maulden, G. (2009). Pilot study to evaluate the effect of oral supplementation of Enterococcus faecium SF68 on cats with latent herpesvirus 1. Journal of Feline Medicine and Surgery, 11(8), 650—654. doi:10.1016/j.jfms.2008.12.006
  11. Internal data, 2018
  12. Kataria, J., Li, N., Wynn, J. L., & Neu, J. (2009). Probiotic microbes: do they need to be alive to be beneficial? Nutrition Reviews, 67(9), 546–550. doi:10.1111/j.1753-4887.2009.00226.x