Fundamentos do Microbioma

vilosidades intestinais com bactérias

Embora o trato gastrointestinal (e o seu microbioma) seja o centro da digestão alimentar e da absorção de nutrientes, ele também desempenha um papel fundamental na saúde global dos animais de estimação, bem como no desenvolvimento e progressão de doenças.

A ruptura da barreira intestinal associada à disbiose durante o envelhecimento tem sido associada a várias doenças crônicas e relacionadas à idade.1,2

O grande número de células imunes que residem no trato gastrointestinal compreende a maior parte do sistema imunológico, proporcionando ao microbioma intestinal um acesso infinito e oportunidades para moldar as respostas imunes e inflamatórias do corpo.3,4

Essa conexão direta com o sistema imunológico tem ampla influência no hospedeiro e provavelmente intermedeia muitas das interações entre o microbioma e o hospedeiro. Por exemplo, alterações da resposta imune associadas ao microbioma têm sido associadas a condições inflamatórias das vias aéreas – representando um eixo intestino-pulmão.5

Ícone de Interações do microbioma intestinal

O microbioma intestinal interage com o hospedeiro para influenciar o metabolismo do hospedeiro, e a disbiose tem sido associada a distúrbios metabólicos, como obesidade e diabetes tipo 2.4,6,7

A influência do microbioma no metabolismo pode ser intermediada pelo sistema imunológico do hospedeiro, bem como pela produção de vitaminas, ácidos graxos de cadeia curta, aminoácidos e metabólitos microbianos que influenciam as vias celulares associadas ao metabolismo do hospedeiro.4

Há evidências crescentes de que o microbioma intestinal de um indivíduo pode protegê-lo de doenças alérgicas e atópicas, e a disbiose pode contribuir para o desenvolvimento de alergias.8 O papel do microbioma intestinal no desenvolvimento e potencialização de doenças de pele é intermediado pela regulação do sistema imunológico e produção de citocinas.3

Em humanos, o desenvolvimento de sensibilização ou tolerância a alguns alérgenos é induzido se a primeira exposição ao alérgeno for através da pele ou ingestão, respectivamente.3 Uma série de citocinas – como interleucina(IL)-9, IL-13, IL-25 e IL-33 – desempenham papéis fundamentais no eixo intestino-pele e no desenvolvimento de comorbidades cutâneas associadas à alergia alimentar.3

o cérebro pode influenciar a microbiota

O microbioma intestinal também regula o desenvolvimento e a função do cérebro por meio de vias imunológicas, neuroendócrinas e neurais (via sistema nervoso entérico e nervo vagal), comumente chamadas de eixo microbiota-intestino-cérebro – ou, de forma mais simples, eixo intestino-cérebro.1,6 O eixo intestino-cérebro desempenha um papel crítico na função cognitiva, e a disbiose do microbioma intestinal foi correlacionada com neuroinflamação e várias condições, como transtornos de ansiedade, comprometimento cognitivo e demência.1

Explore outras áreas do Fórum sobre Microbioma

miniatura centrada em microbioma

Intervenções centradas em microbioma para condições de saúde de animais de estimação

miniatura da liderança da Nestlé

Liderança da Nestlé e da Purina em Microbioma

Saiba mais

  1. Wu, M.-L., Yang, X.-Q., Xue, L. Duan, W., & Du, J.-R. (2021). Age-related cognitive decline is associated with microbiota-gut-brain axis disorders and neuroinflammation in mice. Behavioural Brain Research, 402, 113125. doi:10.1016/j.bbr.2021.113125
  2. Kim, M., & Benayoun, B. A. (2020). The microbiome: An emerging key player in aging and longevity. Translational Medicine of Aging, 4, 103-106. doi: 10.1016/j.tma.2020.07.004 
  3. van Splunter, M., Lui, L, Joost van Neerven, R. J., WIchers, H. J., Hettinga, K. A., & de Jong, N. W. (2020). Mechanisms underlying the skin-gut cross talk in the development of IgE-mediated food allergy. Nutrients, 12, 3830. doi:10.3390/nu12123830
  4. Belizário, J. E., Faintuch, J., & Garay-Malpartida, M. (2018). Gut microbiome dysbiosis and immunometabolism: New frontiers for treatment of metabolic disease. Mediators of Inflammation, 2018, 2037838. doi:10.1155/2018/2037838
  5. Dang, A. T., & Marsland, B. J. (2019). Microbes, metabolites, and the gut-lung axis. Mucosal Immunity, 12, 843–850. doi:10.1038/ s41385-019-0160-6
  6. Richards, P., Thornberry, N. A., & Pinto, S. (2021). The gut-brain axis: Identification of new therapeutic approaches for Type 2 diabetes, obesity, and related disorders. Molecular Metabolism, 46, 101175. doi:10.1016/j.molmet.2021.101175
  7. Belas, A., Marques, C., & Pomba, C. (2020). The gut microbiome and antimicrobial resistance in companion animals. In Duarte, A. & Lopes da Costa, L. (Eds.), Advances in Animal Health, Medicine and Production (1st ed.), pp. 233–245. Springer International Publishing
  8. Koidl, L., & Untersmayr, E. (2021). The clinical implications of the microbiome in the development of allergy diseases. Expert Review of Clinical Immunology, 17, 115—126. doi:10.1080/1744666X.2021.1874353